Atendimento: (31) 3481-2155 ou 9 9185-0284

ptzh-CNenfrites

SABOURAUND DEXTROSE AGAR

Disponibilidade: Disponível

| -

SABOURAUD DEXTROSE AGAR

Código: CM0041

um meio de pH ácido para o isolamento de dermatófitos, outros fungos e leveduras

Fórmula Típica *

gm / litro

Peptona micológica

10.0

Glucose (dextrose)

40.0

De modo a

15.0

pH 5,6 ± 0,2 @ 25 ° C

 
* Ajustado conforme necessário para atender aos padrões de desempenho

Instruções
Adicionar 65 g para 1 litro de água destilada. Deixe ferver para dissolver completamente. Esterilize em autoclave a 121 ° C por 15 minutos. Misture bem e despeje em placas de Petri esterilizadas.

Descrição
Esta modificação do ágar Sabouraud (Carlier 1 ) é adequada para o cultivo e diferenciação de fungos.

Carlier mostrou que o meio dá resultados confiáveis ​​com Microsporum audouini, Microsporum canis, Trichophyton mentagrophytes, Trichophyton flavum, Trichophyton rubrum e Candida albicans . O Agar Sabouraud Dextrose pode ser usado no lugar do meio americano padrão de Hodges 2 . Os fungos mantêm sua aparência cultural típica e, portanto, podem ser facilmente identificados de acordo com os caracteres macroscópicos padrão descritos por Sabouraud 3 .

O meio é freqüentemente usado com antibióticos para o isolamento de fungos patogênicos de material contendo grande número de outros fungos ou bactérias.
Georg et al . 4 assepticamente adicionadas 0,5 g de cicloheximida, 20.000 unidades de penicilina e 40.000 unidades de estreptomicina a cada litro de meio resfriado autoclavado. Cryptococcus neoformans, Aspergillus fumigatus e Allescheria boydii são sensíveis à cicloheximida; Actinomyces bovis e Nocardia asteroides são sensíveis à penicilina e estreptomicina. Alternativamente, pode-se adicionar 0,4 g de cloranfenicol e 0,05 g de cicloheximida a cada litro de meio reconstituído antes da autoclavagem (Ajello 5Os mesmos microrganismos são sensíveis a esta nova combinação - ver Dermasel Selective Supplement SR0075.

Williams Smith & Jones 6 utilizaram o Ágar Oxoid Sabouraud Dextrose, contendo 20.000 unidades de penicilina e 0,04g de neomicina por litro, para a contagem de leveduras no trato alimentar de suínos. Hantschke 7 usou colistina, novobiocina e cicloheximida para isolar Candida albicans . Dolan 8 utilizou gentamicina, cloranfenicol e cicloheximida para o isolamento seletivo de fungos patogênicos.

Oxoid Sabouraud Dextrose Agar também pode ser usado como base de um meio Pagano-Levin 9 para o isolamento de Candida albicans . 0,1 g de cloreto de trifeniltetrazólio (como uma solução esterilizada por filtro) é adicionado a cada litro de meio fundido autoclavado resfriado a 55 ° C. O meio é geralmente tornado inibidor para a maioria dos fungos e bactérias não patogênicos pela adição de antibióticos como acima. Após incubação por 3 dias a 25 ° C, as colônias de Candida albicans são não pigmentadas ou rosa claro, enquanto outras espécies de Candida e outros fungos formam colônias rosa ou vermelhas mais profundas. O teste é adequado para fins de triagem, mas outros critérios diagnósticos também devem ser utilizados para a identificação de Candida albicans10,11,12,13 . O controle de qualidade do Oxoid Sabouraud Dextrose Agar inclui testes de acordo com a ISO: 11133 2014 14 .

Técnica

  1. Inocular cada amostra em duplicado.
  2. Incubar um conjunto de mídia aerobicamente a 22-25 ° C e o outro conjunto a 35 ° C por 5-30 dias. Afrouxe as tampas dos tubos e garanta a umidade adequada para as placas para compensar a perda de vapor d'água. NÃO SELE AS PLACAS .
  3. Examine a cada 2-4 dias.
  4. Descreva cada tipo específico de morfologia da colônia e subcultura para meios apropriados para testes de identificação adicionais.

Condições de armazenamento e
prazo de validade Armazene o meio desidratado entre 10-30 ° C e use antes do prazo de validade indicado no rótulo.
Armazene o meio preparado a 2-8 ° C.

Aparência
Meio desidratado: pó cor de palha, de fluxo livre.
Meio preparado: Gel claro de palha a palha.

Controle de qualidade

Controles positivos:

Resultados esperados

Candida albicans ATCC®
10231 WDCM 00054
Bom crescimento; colônias de creme

Aspergillus brasiliensis ATCC® 16404 *
WDCM 00053

Micélio branco; esporos pretos

Saccharomyces cerevisiae ATCC® 9763 *
WDCM 00058

Bom crescimento; colônias de cúpula creme

Controle negativo:  

Meio não inoculado

No change

* Este organismo está disponível como um Culti-Loop®

Precauções
Alguns dos fungos patogênicos podem produzir esporos infectantes que são facilmente dispersados ​​no laboratório. Esses organismos devem ser examinados apenas em um gabinete de proteção.

A combinação de cicloheximida e cloranfenicol inibe muitos fungos patogênicos 4 . Porém, a fase micelial de Histoplasma capsulatum, Paracoccidioides brasiliensis, Sporothrix schoenckii e Blastomyces dermatitidis não é inibida por esses antibióticos quando incubados a 25-30 ° C 15 .

Por favor, verifique a documentação de saúde e segurança relevante antes de trabalhar com ciclohexamida.

Referências
1. Carlier Gwendoline IM (1948) Brit. J. Derm. Syph . 60. 61-63.
2. Hodges RS (1928) Arch. Derm. Syph., New York , 18. 852.
3. Sabouraud R. (1910) ` Les Teignes ', Masson, Paris .
4. Georg Lucille K., Ajello L. e Papageorge Calomira (1954) J. Lab. Clin. Med . 44. 422-428.
5. Ajello Libero (1957) J. Chron. Dis . 5. 545-551.
6. Williams Smith H. e Jones JET (1963) J. Path. Bact . 86. 387-412.
7. Hantschke D. (1968) Mykosen. 11. 113-115.
8Dolan CT (1971) Appl. Microbiol . 21. 195-197.
9. Pagano J., Levin JG e Trejo W. (1957-58) Antibiotics Annual 1957-58, 137-143.
10. Kutscher AH, Seguin L., Zegarelli EV, Rankow RM, Mercadante J. e Piro JD (1959a) J. Invest. Derm . 33. 41-47.
11. Kutscher AH, Seguin L., Zegarelli EV, Rankow RM, Campbell JB e Mercadante J. (1959b) Antibiotics and Chemotherapy 9. 649-659.
12. Sinski JT (1960) J. Invest Dermat . 35. 131-133.
13. Ridley MF (1960) Australian J. Dermat . 5. 209-213.
14 ISO 11133: 2014 Microbiologia de alimentos, ração animal e água - Preparação, produção, armazenamento e teste de desempenho de meios de cultura
15. McDonough ES, Georg LK, Ajello L. e Brinkman S. (1960) Mycopath. Mycol. Appl . 13. 113-116.

Para mais informações ou fazer cotação acesse:

Menu Offcanvas